26/10/2020

Zero Desperdício – Outono

A premissa base já conhecem: devemos consumir sazonal. Ou seja, no Outono, devemos apostar em frutas e legumes como abóbora, cenoura, ervilhas, couves e folhas verdes, banana da Madeira, romã, pêra, laranja e limão. Também já sabem que o ideal é consumir TODAS as partes dos alimentos. Mas entre o saber e o fazer… às vezes falta ajuda para saber como fazer! E é isso que vos trago aqui hoje. Um post sobre como utilizar todas as partes dos principais alimentos (frutas e legumes) desta estação!

Este artigo tratou-se de uma parceria com a APED para o Instagram. A parceria não incluía divulgação aqui no site, mas por se tratar de informação útil, decidi colocar na mesma.

Sabem como utilizar TODAS as partes dos alimentos desta estação?

Quem já fez os meus workshops já conhece a APED. Falei deles já várias vezes a propósito de desperdício alimentar, ao explicar que “Os Prazos de Validade não são todos iguais”.

Dado que já vos massacrei vezes suficientes com essa informação (certo?), achei que poderia trazer-vos um conteúdo (ainda) mais útil sobre como, neste Dia Mundial da Alimentação, podemos combater o desperdício alimentar.

A premissa base já conhecem: devemos consumir sazonal. Ou seja, no Outono, devemos apostar em frutas e legumes como abóbora, cenoura, ervilhas, couves e folhas verdes, banana da Madeira, romã, pêra, laranja e limão. Também já sabem que o ideal é consumir TODAS as partes dos alimentos. Mas entre o saber e o fazer… às vezes falta ajuda para saber como fazer! E é isso que vos trago aqui hoje. Um post sobre como utilizar todas as partes dos principais alimentos (frutas e legumes) desta estação!

Espreitem as dicas abaixo e, claro, se tiverem dúvidas ou sugestões de mais dicas, deixem nos comentários! Vamos desafiar-nos a passar um Outono sem desperdício alimentar?

Romã:

As cascas podem ser utilizadas para fazer chá. Basta colocar a casca de três romãs a ferver com um pau de canela num litro de água. Depois de ferver 2 minutos, desligar, coar e beber o chá.

Entre algumas propriedades do chá de cascas de romã, reconhece-se a ajuda ao sistema digestivo, controlar aftas e mitigar dores de garganta.

Cebola:

Desde pequena que me lembro, em casa, de se guardarem as cascas da cebola para fazer chá. Basta ferver as cascas de uma cebola num litro de água, coar e beber. Podem adicionar mel e/ou casca de limão. Ajuda na tosse e dores de garganta.

Laranja:

Para além das receitas que existem por essa internet fora de bolos de casca de laranja, detergentes caseiros com casca de laranja ou simplesmente a dica de guardar casca de laranja para utilizar em bebidas como gin (tenho sempre algumas no congelador, dica da minha mãe!), a casca de laranja pode ser especialmente útil nos meses mais frios, como acendalha natural.

Basta secar as cascas de laranja no forno (aproveitando uma altura em que o ligue) e utilizar depois na lareira. Os óleos presentes na casca são inflamáveis e ajudam a atear o fogo rapidamente.

Batata doce:

Esta é bem básica mas, por algum motivo, não é tão feita como devia. Chips de batata doce no forno são uma das maravilhas da cozinha anti-desperdício. É pegar nas cascas, lavar bem, colocar numa taça, misturar uma colher de sopa de azeite, especiarias a gosto e colocar tudo no forno. Uns 15 minutos a 180º e fica pronto. Acompanhamento delicioso, rápido e que poupou a emissão de uns quantos gramas de metano em aterro.

Abóbora:

A abóbora pode (e deve) ser consumida na totalidade. Espreitem, por exemplo, aqui no Instagram, a sopa de abóbora inteira (sementes e tudo) da Patrícia Rebelo. As sementes são óptimas para ir adicionando a praticamente todas as sopas! Também podem fazer chips de cascas de abóbora no forno (depois de cozidas, juntar especiarias a gosto, como pimentão doce, alecrim, pimenta… e levar ao forno até ficarem crocantes).

Também podem guardar sementes de abóbora e utilizar depois numa granola. Costumo fazer uma granola 0 desperdício, com restos de frutos secos e de aveia, sementes de abóbora e uma colher de sopa de agave ou qualquer adoçante que tenha em casa (às vezes é puré de maçã feito na hora mesmo). Misturar tudo, ligar com o adoçante e levar ao forno!

Cenoura:

Estamos habituados a consumir apenas a parte laranja da cenoura. E mesmo a essa tiramos a casca (eu raramente o faço). Se preferirem tirar a casca para os vossos cozinhados, podem depois fazer chips de cenoura no forno.

Para os ramos verdes da cenoura, deixo uma receita de pesto de rama de cenoura do Max La Manna que é simplesmente deliciosa: juntar num processador, as ramas de um molho grande de cenouras, 50gr de frutos secos ou sementes (como as de abóbora, por exemplo) tostadas, 1 ou 2 dentes de alho, 4 colheres de sopa de azeite e 2-3 colheres de sopa de levedura nutricional. Adicionar sal e pimenta a gosto e simplesmente triturar tudo até ficar cremoso.

Amêndoa e Noz:

As cascas de amêndoa e Noz são muito úteis como mulching.

O mulching é uma técnica de proteção de cultivo que ajuda a controlar a temperatura da terra, inibir o aparecimento de ervas daninhas e proteger o solo contra geadas.

Depois de secas, basta triturar levemente as cascas (a ideia não é obter um pó, mas sim cascas em pedaços com cerca de 2 centímetros de comprimento) e aplicar por cima do solo, nos vasos de plantas ou na horta.

Post original do Instagram AQUI

0 comentários em "Zero Desperdício – Outono"

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *