05/07/2019

Tratar da roupa

Ora aqui vão muitas ideias para os desafios de quem tem de lavar, secar, pendurar e passar a roupa!

Uma das coisas que mais me perguntam é: e com a roupa, como é que fazes? Seja porque a pessoa adora o Skip tira nódoas, quer por não conhecer nenhuma alternativa verdadeiramente eficaz, a verdade é que as lides da roupa fazem com que muitas pessoas achem que isto de abandonar detergentes embalados é um filme! Mas não é, é bem mais fácil do que parece. Ora aqui vão muitas ideias para os desafios de quem tem de lavar, secar, pendurar e passar a roupa!

Antes de Lavar:

A primeira coisa a saber é: preciso realmente de lavar a peça de roupa? Muitas vezes pomos roupa para lavar quando poderia ser deixada a arejar, ser esfregada uma nódoa pontual, ou mesmo quando temos preguiça de dobrar e arrumar a peça (é mais fácil atirar para o cesto, eu sei!). Outra coisa a considerar é: a máquina da roupa gasta muita água e energia para funcionar. Logo, se lavarmos à mão apenas algumas partes de peças, evitamos umas quantas máquinas ao longo da vida. Estou a assumir que a maioria das pessoas tem máquina de lavar, penso que será a norma hoje em dia (e ninguém tem tempo para lavar tudo à mão).

Outra coisa importante a considerar antes de entrar no tema da lavagem da roupa propriamente dito é um pormenor óbvio, mas no qual nem sempre pensamos: o cesto da roupa! Podemos comprar um de plástico, dado que vamos utilizar muito. Mas depois de o utilizarmos, o cesto vai “ficar cá” e poluir o planeta. Portanto: porque não pensar num cesto de verga, tecido ou mesmo metal? Isto se for mesmo necessário comprar (e não houver em segunda mão!). Eu uso um de plástico, que é o que tinha em casa. O problema não é o plástico que usamos muitas vezes, mas sim o de utilização única. Ainda assim, se forem comprar novo, equacionem opções que, em fim de vida, se degradem facilmente ou sejam recicláveis (o meu de plástico é reciclável, por exemplo).

Tirar Nódoas:

Entrando na lavagem e sabendo que vão pensar em tirar as nódoas antes de colocar para lavar (ou em vez de), deixo duas sugestões: bicarbonato de sódio e sabonete anti-nódoas (há de várias marcas. Eu comprei o meu sabonete anti-nódoas na Lunapads, quando comprei os pensos reutilizáveis de algodão, mas uma barra de sabonete Castile (o mais conhecido é o de Marseille) também pode servir, bem como o tradicional sabão azul e branco, dependendo da nódoa. Depois há truques para nódoas específicas! Deixo-vos uma lista de tira nódoas da ParistoGo.

Para esfregar a nódoa, depois de colocar o sabão/bicarbonato/o que for, costumo usar tecido contra tecido, da própria peça de roupa (foi assim que aprendi com a minha avó), mas também pode dar-vos jeito utilizar uma escova. Se for o caso, sugiro utilizar uma escova com cabo de madeira e cerdas naturais.

Lavagem – Detergentes:

Têm 4 opções de detergentes para lavar a roupa sem fazerem lixo: a granel, nozes de saponária, o famoso EcoEgg ou compram os ingredientes para fazerem o vosso próprio detergente caseiro .

Prefiro comprar os detergentes já feitos. Compro a granel a marca EcoX e adoro, mas poderão encontrar outras marcas na vossa loja a granel, como a Alegro Natura ou a Greendet. Só vos posso falar daqueles de que conheço, portanto fica o meu feedback do detergente da roupa da EcoX (que é, de longe, o meu preferido). A roupa fica macia e com um cheiro maravilhoso (uso em conjunto com o amaciador (já comprei o da Allegro Natura na #Granel (em Benfica) e agora uso da EcoX, mas mesmo antes de usar amaciador gostava do detergente da EcoX). A marca é especialmente interessante uma vez que faz detergentes ecológicos produzidos a partir de óleo alimentar reciclado: não só não faz lixo de embalagens, como ajuda a reutilizar um “lixo” bastante complexo de reciclar, como o óleo alimentar (que é um grande contaminador de águas).

Também podem lavar a roupa com nozes de saponária. Das duas vezes que usei, não correu mal, mas não ficou como quando uso o da EcoX. O método é simples: três-quatro nozes de saponária dentro de um saquinho de pano ou rede, colocado no interior do tambor. Coloquei umas gotinhas de óleo essencial de lavanda, para dar cheirinho (e funcionou). Podem usar o óleo essencial que preferirem mas não usem mais do que 5-10 gotas! As nozes de saponária podem comprar a granel também – eu comprei as minhas na Maria Granel.

Nunca experimentei fazer eu os detergentes da roupa (da casa já, mas da roupa não). No entanto, há imensas receitas disponíveis online e precisam, regra geral, de ingredientes, que facilmente encontram a granel: sabonete Castile, bicarbonato e/ou carbonato de sódio e óleos essenciais a gosto (geralmente usa-se lavanda).

Relativamente ao EcoEgg, nunca usei, mas já ouvi maravilhas. Tem algumas vantagens e algumas desvantagens. Por um lado, é provavelmente a maneira mais económica de lavar a roupa. Um ovo com minerais para 210 lavagens custa 17,99€ na EcologicalKids (não sei se existe mais algum ponto de venda em Portugal). Para além deste importante factor, também é hipoalergénico (se tiverem problemas de pele pode ser uma excelente solução, dado que ganhou alguns prémios neste segmento). Por outro lado é feito de plástico (tipo 5). É reciclável, mas aquilo que me deixa de “pé atrás” é saber que o plástico, com o calor, liberta dioxinas. 30ºC é uma lavagem a frio na máquina, mas pode ser suficiente para a libertação de dioxinas. Para além disto, os minerais vão, em fim de vida, para o lixo comum. Se é melhor do que comprar um detergente embalado num supermercado, numa embalagem não reciclável, a cada 2-3 meses? Parece-me que sim. Se será melhor do que comprar a granel um detergente feito com óleo alimentar reciclado? Não tenho a certeza… Afinal, mesmo o detergente da EcoX tem de chegar até nossa casa, o que implica emissões de CO2 no transporte (e transportar líquidos tem uma pegada ecológica pesada). Não acho que haja aqui uma resposta “certa”. Depende de demasiados factores e da disponibilidade de cada tipo de detergente para cada pessoa.

Micro-plásticos:

Uma das consequências da lavagem de roupa com fibras não naturais é a libertação de micro-plásticos. É inevitável. Só evitam se não lavarem a roupa mesmo, portanto o que eu faço é tentar primeiro tirar nódoas em vez de lavar a peça toda, quando não precisa de ser lavada integralmente. Existem, no entanto, duas opções para “apanhar” estas micro-fibras, não permitindo que contaminem a água. O Guppy Friend ou a Cora Ball. Nunca usei nenhum dos dois, mas quero começar a utilizar. Problema: as fibras que estes “instrumentos” apanham têm depois de ser deitadas fora e não faço ideia onde as deito para não irem para aterros. Vou guardar todas num frasquinho e hei-de descobrir entretanto onde as colocar!

Nota: as fibras naturais também libertam “micro-fibras”. Dependendo do tipo de tingimento utilizado, lixívias para lavagem, etc, também podem ser poluentes (sim, nem tudo o que é “natural” é livre de consequências ambientais). Se tiverem dúvidas relativamente às fibras das vossas peças de roupa, tentem que o GuppyFriend ou a CoraBall apanhem também as micro-fibras das roupas de algodão, lã, linho e afins.

Secagem da roupa:

Regra básica: preferir estendais em detrimento das máquinas de secar. Primeiro, porque os estendais consomem zero energia. Segundo, porque as máquinas de secar estragam muito mais a roupa. Terceiro, porque a roupa é muito mais fácil de passar se tiver sido estendida do que se for seca na máquina (fica mais enrugada). Regra de ouro: roupa bem esticada é roupa meio passada! Se já têm estendais em casa, usem-nos! Se não têm, vejam se há opções em segunda mão no Olx e, caso não haja, prefiram os de metal (muito resistentes) ou madeira (facilmente se degradam em fim de vida).

Uma dica imprescindível na secagem: se vão colocar camisas/pólos no estendal, usem cabides! Torna-se muito mais fácil depois para passar, se estas peças já estiverem sem vincos de molas e afins (gastam menos tempo e energia depois a tentar passar os vincos). Em termos de utensílios de secagem, preferimos sempre cabides e molas de madeira e metal, mas atenção: as molas de plástico não são o inimigo. No entanto, existindo alternativas que, em final de vida, vão ser mais fáceis de decompor, preferimos essas. Isto se não tiverem já molas. Se já tiverem, usem! Esta dica serve até para quem não quer saber dos plásticos, dado que as molas de plástico se estragam num instante ao sol.

Se utilizam máquina de secar e colocam aquelas folhinhas para ajudar a não vincar a roupa, substituam-nas por bolas de algodão reutilizáveis. Nunca experimentei porque não tenho máquina de secar roupa, mas dizem maravilhas delas. Já li reviews que sugeriam inclusivamente adicionar algumas gotas de óleos essenciais às bolinhas para cheirar ainda melhor a roupa depois de lavada e seca!

Passar a ferro:

Para terminar, apenas uma pequena dica de passagem a ferro. Passem primeiro as peças que necessitam efetivamente de mais calor (camisas, por exemplo) e, no final, desliguem o ferro e, com o calor residual, passem as mais simples (gosto de deixar para o fim as t-shirts, seguidas de toalhas de mesa).

4 comentários em "Tratar da roupa"

  • Lara C.
    19/07/2019 ás 21:32

    Muitos parabéns pelo seu blog Catarina!! Também pode encontrar o ecoegg e outros produtos ecológicos para bebés e crianças na bomullbaby.com

    Responder
    • Beco
      24/07/2019 ás 14:02

      Olá 🙂 Muito obrigada pela partilha e pelo feedback! Não conhecia, mas já estou a ver o site! Parece super interessante. Beijinho 🙂

      Responder
  • Anabela Trindade
    17/09/2019 ás 09:51

    Bom dia. Mudei recentemente para uma casa muito pequena ( por opção e consciência da importância da sustentabilidade) mas infelizmente tenho que recorrer a secagem de roupa na máquina o que efetivamente deixa a roupa com muito mais vincos. No seu artigo fala de folhinhas para vincos ou bolas de algodão… nunca tinha ouvido falar. Onde posso encontrar? Obrigada por todas as dicas tão importante que pública e nos fazem uma abertura de consciência. Gratidão.

    Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *